2012 começou e você 'tá' perdido? O GON te ajuda...

Com Jesus nunca vai faltar estepe quando os pneus furarem na estrada da sua vida. ;)

Simplesmente perdoar

Nos afastamos de Deus. Sim por que a falta de perdão é falta de amor. Logo, falta de amor é falta de Deus. Com Deus longe deixamos espaço para o "orgulhoso" agir.

quarta-feira, 31 de março de 2010

Escola da Juventude e Curso de Assessores 2010


por Guilherme Pontes

A “Escola da Juventude” é uma escola de formação para jovens lideranças e o “Curso de Assessores”, é uma formação para os adultos, padrinhos, casal apoio dos grupos de jovens.

Ambas as formações acontecerão em três etapas (23 a 25 de abril; 03 a 06 de junho; 26 a 28 de agosto), na Casa de Retiros Caminho de Nazaré, em Enseada de Brito, com acompanhamento do Pe. Josemar, assessor eclesial da Pastoral da Juventude.

O Curso de Assessores a priori não tem limite de vagas, mas podendo ser igualado por paróquias caso exceda o espaço físico. A escola da juventude tem a possibilidade de 2 vagas por paróquia, podendo ser ampliada para 4, de acordo com a necessidade e disponibilidade de vagas. Cada etapa terá um custo de R$ 50,00 por jovem ou adulto, sendo que sugerimos que a paróquia possa pagar este valor.

As inscrições devem ser feitas através do e-mail pjuv@arquifln.org.br até o dia 19 de abril de 2010, sendo necessário mandar o nome do jovem, paróquia e e-mail para contato.


Proposta Programática da Escola da Juventude e Curso de Assessores

Escola da Juventude

A Escola da Juventude tem o objetivo de capacitar jovens líderes ao serviço da coordenação nos diversos níveis organizativos (grupos, paróquias, comarcas e dioceses) da Igreja.

1) A Mística das Pastorais da Juventude do Brasil - Marco Doutrinal e Celebrativo (1) Deus-Trindade (comunidade) presente na história dos pobres e dos jovens, (2) o Reino de Deus – a Civilização do Amor, (3) a Igreja “Povo de Deus”; (4) Maria, mãe da Igreja e da juventude; (5) expressões e vivência da fé juvenil e da Pastoral da Juventude, e (6) Vivência dos Mistérios de Deus no Ecumenismo

2) O Processo de Educação na Fé e ODJ (1) grupo como espaço de formação para conscientização (para a criticidade), (2) a formação para o amadurecimento da fé; (3) as dimensões da formação integral; (4) Capacitação para o uso do Oficio Divino.

3) Dinâmica do trabalho com os grupos de jovens (1) a dinâmica de grupo, (2) tipologia e classe de grupos, (3) coordenação, liderança e participação no grupo, (3) metodologia e método de trabalho, (4) etapas de vida do grupo (5) planejamento pastoral, e (6) obstáculos do trabalho com o grupo.


Curso de assessores

O Curso de Assessores de Jovens da Arquidiocese de Florianópolis quer contribuir com o preparo intelectual, psicológico, teológico e pedagógico daqueles que se sentem chamado ao ministério da assessoria de jovens.

1) Ministério e identidade do assessor de jovens (1) identidade do educador/assessor como constituinte da vida da pessoa; (2) os saberes do assessor e sua autoridade no processo de mediação e acompanhamento aos jovens; (3) a Mística da assessoria: sua missionariedade e ministerialidade; (4) desafios atuais do acompanhamento da juventude na realidade moderna.

2) Realidade Juvenil: desafios e perspectivas (1) fenômeno atual da espiritualidade juvenil. (2) emergências que surgem no atual contexto da sociedade; (3) Retomar e aprofundar a gênese do sagrado na juventude (o divino no jovem).

3) Aspectos Pedagógicos e Metodológicos do acompanhamento (1) Compreender aspectos essenciais da metodologia da ação do assessor/educador de jovens, através do registro e planejamento, atentando para ações que motivem os jovens para a participação cidadã.

Nossa meta é evangelizar


O que vem por aí

por Natália Demartino

Abril é um mês especial para os jovens do Grupo Obra Nova, pois comemoramos ‘nosso’ aniversário no dia 03. Este ano completaremos 06 anos de serviço a comunidade, de evangelização da juventude, de altos e baixos, de muito amor e entrega a Deus. Mas também, realizaremos diversas atividades para toda a comunidade participar.

Para tanto, sempre contamos com a ajuda de pais e da própria comunidade, que muito nos ensinaram a respeito de organização, doação e partilha, pois tal ajuda nos amadurece grandemente. Além da colaboração de nossos companheiros de caminhada, também necessitamos de recursos financeiros e da promoção de atividades evangelizadoras. Por isso, nós apresentaremos neste artigo alguns dos eventos previstos para este ano. A começar pelo nosso Bingo, que será realizado no dia 10 de abril, às 20h, no Salão Paroquial, com o qual pretendemos arrecadar recursos financeiros para nossas obras de evangelização.

Já em maio, realizaremos o JUNIUS SANCTI 2010, um dia diferente, no qual os jovens são convidados a participar para revolucionarem as suas vidas através do encontro com Cristo. Esta é a nossa atitude de contribuição no ‘resgate de ovelhas perdidas’ e na formação dos jovens já inseridos na Igreja. Neste ano, o encontro será realizado dia 23, com início às 8h30, no Salão Paroquial.

Nossos projetos de integração com outros grupos de jovens estão frutificando. Contamos, atualmente, com a ajuda de outros dois grupos de nossa cidade: o JUPAC, da Paróquia São Cristóvão, e o JASC, da Paróquia São João Bosco. Ambos participam de nossas reuniões e eventos, o que muito nos alegra. Essa integração é muito importante para unirmos forças, dividirmos experiências e alavancarmos em nossa caminhada de evangelização. Outro projeto é o nosso ministério de música, que está se formando e, em breve, estará disponibilizando seus serviços para toda a comunidade. Isto será uma grande vitória, visto que a música é ingrediente essencial quando se fala em trabalho com a juventude.

Por fim, como vocês já puderam notar este ano o Obra Nova continua a auxiliar e incentivar o jornal paroquial. E, para o segundo semestre há várias programações que comunicaremos em edições posteriores deste informativo.

Glorificamos a Deus por mais um ano de história. A todos que nos ajudam somos muito gratos; e mais ainda a Deus que nos disponibiliza estes serviços. Assim, esperamos continuar na caminhada e assumir cada vez mais a nossa opção pela evangelização da juventude de nossa paróquia.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Papa: As renúncias são possíveis se têm um significado


por H2O News

Jovem: Jesus convidou o jovem rico a deixar tudo e a segui-lo, mas ele foi embora triste. Também eu, como ele, tenho dificuldades em segui-lo, porque tenho medo de deixar as minhas coisas e, às vezes, a Igreja me pede renúncias difíceis. Padre santo, como posso encontrar a força para escolhas corajosas, e quem pode me ajudar?

Papa: Comecemos talvez com essa palavra dura para nós: renúncias. As renúncias são possíveis e no final se tornam inclusive belas se têm um porquê, e se esse porquê justifica depois também a dificuldade da renúncia. São Paulo usou neste contexto a imagem das olimpíadas e dos atletas empenhados com as olimpíadas. Diz a eles que para se chegar finalmente à medalha, naquele tempo a coroa, devem viver uma disciplina muito dura, devem renunciar a muitas coisas, devem realmente exercitar esse esporte que praticam. Fazem grandes sacrifícios e renúncias porque têm um porquê, vale a pena mesmo que talvez, no final, não estejam entre os vencedores. Todavia, é algo belo ter disciplinado a si mesmo e ser capaz de fazer essas coisas com uma certa perfeição. E o mesmo vale com essa imagem de São Paulo para as olimpíadas, vale também para todos os outros aspectos da vida. Não posso alcançar uma boa vida profissional sem renúncias, sem uma preparação adequada, que sempre exige disciplina, exige que devo renunciar a algo. E assim também na arte, em todos os elementos da vida, nós compreendemos que para alcançar um objetivo profissional, seja esportivo, seja artístico, cultural, devemos renunciar, aprender, aprender a arte de viver, de ser si mesmo. A arte de ser um homem exige renúncias verdadeiras, que nos ajudam a encontrar a estrada da vida, a arte da vida indicadas na palavra de Deus, e nos ajudam a não cair, digamos, no abismo da droga, do álcool, da escravidão da sexualidade, da escravidão do dinheiro, da preguiça. Todas essas ações, em um primeiro momento, aparecem como ações de liberdade, mas na realidade não são ações de liberdade, mas o início de uma escravidão que se torna sempre mais insuperável. E superar essas renúncias à tentação do momento, prosseguir em direção ao bem, cria a verdadeira liberdade e torna a vida preciosa.

IV Encontro Arquidiocesano de Coordenadores da Juventude


[A Pastoral da Juventude da Arquidiocese de Florianópolis está com uma nova estrutura: a partir de 2010 contará com a formação de coordenadores comarcais e coordenadores paroquiais.

Como um grande passo, foi realizado o IV Encontro Arquidiocesano de Coordenadores da Juventude. O GON conta com a participaçõa de dois integrantes na representação comarcal. Aos interessados segue o relatório da reunião.]



ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS
PASTORAL DA JUVENTUDE

RELATÓRIO
Florianópolis, Monte Verde, 28 de março de 2010
IV Encontro Arquidiocesano de Coordenadores da Juventude
Com os representantes comarcais


SANTA MISSA

O dia começou com a celebração da Missa de Ramos presidida pelos Pe. Vitor Feller e concelebrada pelo Pe. Alcides Albony. Durante a mesma foi lida a provisão assinada pelo Bispo Dom Murilo e foram apresentados à comunidade local os coordenadores comarcais da juventude. Os jovens provisionados são:

Comarca de Itajaí: Daniel Schmidt Casas, Natália Demartino e Fernando Marquetti.

Comarca de Brusque: Maiara Cristina Nascimento e Elisangela Dãobroski Dutra.

Comarca do Estreito: Eduarda Bosoni e Luiz Henrique Schimidtt.

Comarca de São José: Jean Ricardo e Narrimam Conte Cruz.

Comarca de Santo Amaro: Regiane Schappo e Géssica Bernardo.

Comarca de Tijucas: Letícia Espíndola e Wilian Voss.

Comarca de Biguaçu: Gisleyne Maria Anacleto, Gilmar Schmitz e João Batista Sartori.

Comarca da Ilha: Anayara Soares Rovaris e Jonatan Felipe Schtz.

Porém, não compareceram os jovens das comarcas de São José, Santo Amaro e Tijucas.


ORAÇÃO INICIAL

Após a Santa Missa, os jovens dirigiram-se para um delicioso café. Em seguida, iniciou-se a oração e fez-se a leitura do texto bíblico: Lc 8,9-15. Essa mesma leitura foi feita e refletida durante as reuniões comarcais.


CONTEXTUALIZAÇÃO

Primeiramente, o secretário arquidiocesano da PJ, Guilherme Pontes, distribuiu o Plano Pastoral a todos os presentes. Apresentou as idéias definidas pela Assembléia (junho/2009), explicando os tópicos escutar, falar e fazer que compunham sua estrutura.

Pormenorizando:
Escutar: ouvir o testemunho dos jovens sobre a situação dos grupos.
Falar: explicar a estrutura, a organização e a metodologia da PJ.
Fazer: projetos assumidos a nível arquidiocesano e pelos grupos: Dia Nacional da Juventude, Retiro de Coordenadores, Missões Jovens, Oficinas, Escola da Juventude, Curso de Assessores, Jornada Mundial da Juventude, Coordenações Paroquiais, Coordenações Comarcais, Formação de novos grupos, Reunião com padres e lideranças, Relação com outras pastorais e movimentos, Materiais.

Guilherme leu a proposta escrita no Plano Pastoral, especificando cada tópico supracitado, bem como comentou sobre os encontros comarcais e a presenças das paróquias. Tais encontros se encaixam na ação assumida para formar coordenações comarcais. Isso gera uma nova estrutura para a PJ (níveis comarcais), que terá reuniões periódicas a cada 3 meses. O eixo que norteia as reuniões é oração-partilha-definições.

Em seguida, foram entregues imãs de geladeiras com o cronograma dos encontros de 2010.


PRIMEIRA PROBLEMATIZAÇÃO

Seguindo a ordem da pauta foi lançada a primeira problematização: “Qual a realidade da nossa comarca? Como podemos chegar mais próximos dos grupos e auxiliá-los de uma melhor forma? Como podemos trazê-los para os encontros comarcais? Quais os meios para atraí-los? Quais atividades podemos desenvolver?”

Então, foram compostos dois grupos: (a) Comarcas: Itajaí e Brusque; (b) Comarcas: Ilha, Estreito e Biguaçu.

Exposição de idéias da primeira problematização:
(a) Segundo o grupo, a comarca é fechada, desunida e pouco representada. Para que este cenário mude será necessário: visitar as paróquias e coordenações; criar grupos de e-mail e MSN; investir em marketing e propaganda; elaborar materiais formativos e informativos (diretrizes e cronogramas); promover dias de lazer/ confraternização.

(b) Segundo o grupo, a comarca é pouco integrada. Há também pouco apoio dos párocos em certas comunidades, bem como se encontra dificuldades no diálogo entre grupos da PJ e da RCC. As soluções propostas foram: trazer o projeto de Jesus Cristo para a realidade da comarca, como mostrado no livro “Civilização do Amor”; e fortalecer as coordenações paroquiais e a integração dos grupos de jovens através da partilha e de formação.

Após, Guilherme finalizou dizendo que independente do carisma do grupo, todos os jovens, sem exceção, devem ser procurados, a fim de que se quiserem, participem das reuniões comarcais. A contribuição individual de cada um é essencial para que a mudança aconteça. Todos foram almoçar.


SEGUNDA PROBLEMATIZAÇÃO

A parte da tarde começou com uma animação. Iniciou-se a discussão acerca da segunda problematização: “Como vão funcionar os encontros comarcais? Os temas serão os mesmos? As atividades serão as mesmas? Como faremos decisões? Como acontecerão estas relações?”. Os grupos de debate foram os mesmos da parte da manhã.

Exposição de idéias da segunda problematização:
(a) encontros comarcais devem funcionar de forma dinâmica, expondo as realidades das comarcas, porque apresente soluções possíveis e se chegue à tomada de decisões. Como temas sugere-se que sejam os mesmos em todas as reuniões, salvo assuntos extraordinários (eventos, urgências). As atividades devem ser realizadas de forma que abordem os problemas da comarca, e tentem amenizá-los ou solucioná-los. As decisões serão feitas mediante debate e acordo entre os participantes, sem desviar das diretrizes da juventude católica da Arquidiocese de Florianópolis, contidos no Plano Pastoral.

(b) Primeiro, deve-se estruturar a “equipe” das reuniões comarcais, e a partir disso, apoiar os grupos em suas atividades e na sua solidificação. O tema principal deve ser a estruturação paroquial.

Foi então que surgiu a polêmica: “Quem deve participar dos encontros comarcais?”. A decisão foi que tanto coordenadores paroquiais quanto coordenadores de grupos poderão participar, mas que tal participação dependerá da realidade de cada comarca e da organização paroquial.


ENCAMINHAMENTOS

Como fruto das discussões será idealizado um folder informativo sobre a nova estrutura da PJ e seus objetivos para uma futura aprovação. Foram escolhidos os jovens: Eduarda Bosoni, Natália Demartino e Fernando Marquetti para realizar a tarefa. O prazo para entrega é de 21 dias a contar desta data.

Além do folder, será feita uma “pesquisa de campo” nas paróquias, a fim de mapear os grupos de jovens existentes na arquidiocese. Para tanto, Guilherme Pontes ficou responsável de elaborar uma planilha para ser preenchida durante o “mapeamento”.

Para as próximas reuniões será feito um convite escrito a cada coordenador de grupo com as assinaturas dos articuladores comarcais e do secretário arquidiocesano. O convite será repassado via e-mail a todos os articuladores, que terão a missão de entregá-los aos coordenadores paroquiais e/ou coordenadores de grupo.


RECADOS

Cada articulador tem sua cópia da provisão lida durante a Santa Missa de Ramos, o que torna sua atuação na comarca, a priori, incontestável pela mesma.

Dom Murilo Krieger convida os coordenadores comarcais para a celebração de seu Jubileu de Prata de Ordenação Episcopal, que acontecerá no dia 28 de abril de 2010, às 19h, na Igreja Matriz São Luiz Gonzaga, em Brusque – SC.

Todos devem ficar atentos às reuniões comarcais de pastoral para poder participar e difundir a nova estrutura da PJ. As datas, os horários e os locais constam no cronograma arquidiocesano.

Durante o biênio 2010-2011 será realizada a campanha “Chega de violência e extermínio de jovens” visando a uma mobilização dos grupos de jovens para que debatam o tema e o levem para suas realidades e as mudem.

Em 2010, acontecerão duas escolas de formação: Escola da Juventude e Curso de Assessores. As datas, os horários e os locais constam no cronograma arquidiocesano. Todos são chamados a participar. Maiores informações poderão ser obtidas com a coordenação arquidiocesana da PJ.


ENCERRAMENTO

Depois de muito pensar e dialogar, o IV Encontro Arquidiocesano de Coordenadores da Juventude encerrou a pauta com uma oração final, na qual todos puderam expor seus sentimentos e pedir a luz do Espírito Santo para a nova caminhada. Com a benção do Pe. Alcides Albony, e certos de sua missão, todos se abraçaram desejando a paz e retornaram às comarcas, prontos para começarem uma eficaz articulação.

sábado, 27 de março de 2010

"Catholic Church: buldier of civilization" #2

Segundo episódio: Igreja e Ciência

Quantos mitos sobre a Igreja já te contaram? Em quantos deles você creu?
Quebre paradigmas... assista esta série, que apresenta a colaboração da Igreja Católica para a construção da civilização ocidental.

Primeiro episódio neste link.








E para finalizar, um bom texto de Everth Oliveira (@ecclesiauna): "Existe amizade entre ciência e fé".

sexta-feira, 26 de março de 2010

Sangue de jovem não corre, revoluciona


por Adriano Gonçalves

Li recentemente uma frase que me deixou bem impactado, a frase é esta: “Sangue de jovem não corre, tira racha!”

Realmente é assim, queremos as coisas para já e para agora! Só você imaginar a lentidão da tua net. Se o download demora com certeza a sua impaciência vem em banda larga!

Outros podem usar a frase adaptada: “sangue de jovem não corre, voa”. Prefiro usar:

Sangue de jovem não corre, revoluciona!

Temos uma força forte que corre em nossas veias. Parece redundante, mas não é!

Esta força é forte! Pois vem do próprio Deus. Tem gente demais querendo nos convencer que esta força é fraca! Não se deixe iludir!

Fizemos uma experiência com Jesus, ele nos olhou e mudou a nossa vida! Provocou Revolução! E se ainda não provocou, pare de ler este post e se permita ser olhado por Ele! Ele está perto e está com o olhar fixo em você!

Esta experiência foi e é tão forte que nos faz pegar a vida nas mãos e dá-la um destino, um sentido! Gastar a vida na construção de um mundo mais bacana!

Quero te convidar a se mexer, a provar uma Revolução, algo que vai além de ideologia, mas algo que parte do encontro com uma pessoa: Jesus!

Como você se encontra hoje? Tem vontade de mudar o mundo? Vamos anunciar com a vida que é possível ser outro Cristo!

Apesar das dificuldades, não se deixe desencorajar nem renuncie os seus sonhos!

A vida pode até ser dura e difícil, porém acredite: Ser jovem é ter uma visão além do alcance!

O sangue de Jesus nos libertou! Este sangue revoluciona nossa vida e nos leva a falar mais alto que antes e nos dá a certeza de que é preciso mudar esta realidade!

Está em nossas mãos o futuro! Ou vai viver de passado? Pegue cada chance que tem e faça desta chance a oportunidade de provocar a Revolução Jesus!

Se está no presente, viva-o como ele é, ou seja, um presente! Abra-se e se perceba como presente, como Dom.

Neste post, quero provocar você a uma radicalidade na santidade! A deixar-se atrair por Deus e assim fazer algo para mudar a realidade! Podemos anunciar a vida eterna, e que o céu é uma conquista já garantida com Jesus, mas falta nossa parte!

Os santos são os verdadeiros reformadores. Só dos Santos, só de Deus provém a verdadeira revolução, a mudança decisiva do mundo.
Bento XVI

E aí, vamos juntos provocar a Revolução Jesus?

Comente retuite, coloque no Orkut este texto, até se quiser imprimi-lo e queimá-lo e que a fumaça produzida possa anunciar Jesus. Provoque uma reação! Vamos fazer barulho, mas que este barulho tenha o conteúdo que gera sentido, gera vida!

Um conteúdo que é pessoa, é Jesus!

terça-feira, 23 de março de 2010

O Vaticano no Twitter


Inaugurada nova página sobre atualidades

CIDADE DO VATICANO, domingo, 21 de março de 2010 (ZENIT.org). – Desde o sábado, o Vaticano ingressou na rede social de mensagens breves Twitter, inaugurando ainda uma nova página na web, www.resources.va, na qual disponibiliza informação multimídia abordando questões da atualidade.

A chegada do Vaticano à rede Twitter se dá através de seis canais – um para cada idioma. O endereço do canal de língua portuguesa é @news_va_pt.

O Twitter é um serviço gratuito de microblogging que permite que seus usuários recebam em tempo real micro-mensagens de texto – as “tweets” – cuja extensão máxima é de 140 caracteres.

Além do português, estão disponíveis canais nos idiomas italiano, francês, alemão, inglês e espanhol.

Através destes canais no Twitter, a Rádio Vaticana e outros órgãos de comunicação do Vaticano divulgarão informações, notícias e conteúdos multimídia de particular relevância para a vida da Igreja.

Além disso, por ocasião da publicação da carta de Bento XVI aos católicos da Irlanda, o Vaticano lançou o website www.resources.va , no qual serão publicados artigos completos, além de materiais em vídeo e áudio relacionados com o magistério do Santo Padre sobre abusos sexuais cometidos por sacerdotes.

O Vaticano conta ainda, há mais de um ano, com um canal oficial no Youtube, em quatro idiomas.

O papel da família no terceiro milênio


Fala o cardeal Ouellet, arcebispo de Quebec e primado do Canadá

por Carmen Elena Villa

ROMA, sexta-feira, 19 de março de 2010 (ZENIT.org). – A primeira década do século XXI tem sido marcada por uma “confusão de valores e uma perda de referências”, realidade que atingiu muitas famílias. Foi o que afirmou na última quarta-feira o cardeal Marc Ouellet, arcebispo de Quebec e primaz do Canadá.

O purpurado discursou sobre o tema “O papel da família no terceiro milênio”, no congresso “Oriente e ocidente: em diálogo sobre o amor e a família”, realizado nesta semana no Instituto João Paulo II para Estudos sobre a Família e o Matrimônio da Pontifícia Universidade Lateranense de Roma.

“A humanidade vive hoje uma crise sem precedentes”, afirmou o cardeal Quellet, sublinhando alguns aspectos como a crise dos recursos naturais, o colapso financeiro, o terrorismo internacional e o relativismo moral – fenômenos, segundo ele, ligados à crise da fé. “No último século, modificou-se a imagem que o homem tem de si mesmo”, afirmou.

A crise cria também uma “confusão alimentada por uma linguagem ambígua”. Por isso, observa o purpurado, a crise atual “não é tão somente uma crise moral ou espiritual, mas principalmente antropológica, pois questiona a própria humanidade”.

Magistério e família

O purpurado lembrou como o Concílio Vaticano II foi capaz de abordar os desafios que se vislumbrava às portas do terceiro milênio. Destacou também como a Constituição Pastoral Gaudium et Spes tratou da questão da família, que deve viver “segundo a graça da semelhança trinitária”.

Da mesma forma, enfatizou a importância da família como “igreja doméstica”, afirmando que esta deve ser “recolocada no coração da Igreja”.

“A união introduz a família na relação entre Cristo e a Igreja, inaugurando uma nova dinâmica. Os cônjuges devem estar empenhados em amarem-se com Deus e em Deus”, acrescentou o purpurado.

Nutrir-se de Deus para projetar-se no mundo

O cardeal Oullet destacou como a Exortação Apostólica Familiaris Consortio de João Paulo II, publicada em 1981, constitui fruto das reflexões conduzidas durante o Concílio Vaticano II sobre a vocação e o papel da família, em especial sobre a necessidade de aprofundar o tema do homem e da mulher como seres criados à imagem e semelhança de Deus.

Recordou ainda que a vocação da família é ser “igreja doméstica”, com base nas palavras de São João Crisóstomo, que dizia “Faz de tua casa uma Igreja”, enfatizando que “há ainda muito a se descobrir neste sentido”, visto que a família não é apenas “uma imagem da Igreja, mas também uma realidade eclesial”.

No matrimônio, acrescentou o purpurado, verifica-se “a unidade do ‘nós’ não de maneira simbólica, mas real”, e os esposos “se doam e recebem a Cristo também no cotidiano”, como resultado de um “carisma de unidade, fidelidade e fecundidade”.

“O amor é o caminho da perfeição humana em Cristo”, assinalou o cardeal, mostrando como o amor conjugal representa a união de Eros e ágape. “Um amor plenamente humano, sensível, espiritual, fiel, exclusivo até a morte, que não se exaure e que continua a suscitar novas vidas”.

Um amor que, à semelhança da Trindade, “comporta em si uma abertura ao Filho, e, de maneira ainda mais profunda: o Filho e o Espírito que se doam aos esposos como fruto do amor”, uma comunhão que envolve “não apenas uma abertura ao Espírito e ao Filho, mas também à sociedade”.

Deste modo, indicou o arcebispo de Quebec, a família “participa da missão salvadora da Igreja”, de modo que tantos os esposos quanto os filhos se tornam “Focolares da comunhão interpessoal habitada por Cristo e escola de liberdade”, e assim podem “responder à confusão de valores da cultura de morte, da cultura da posse e do efêmero”.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Bingo GON

domingo, 21 de março de 2010

O que o GON significa para nós

Esta é a seção de depoimentos do blog do Grupo Obra Nova. Saiba o que o GON significa para a vida de cada um que participa dele.

O GON é uma segunda família, com quem sempre podemos contar e que traz consigo o objetivo de transformar a juventude de hoje em fiéis seguidores de Deus e em pessoas mais justas. O grupo foi algo que mudou as nossas vidas e nos ajudou com o caminho a ser seguido.
Maria Isabel e Francisco

Nesse pouco tempo que estou no GON percebi que é muito bom estar com as pessoas que eu amo e que ele é tudo pra mim. O GON é 10! Parabéns a nós. ♥
Felipe Bruno Mafra Alves da Silveira

O GON é a minha segunda família. Assim como eu amo a Deus e a minha mãe, eu amo esse grupo. GON você é tudo pra mim.
Bruna Lima Marques

O GON é uma maravilha, um presente. É bom vê-lo crescendo na fé em Cristo, pois assim as bençãos, como as amizades aqui formadas, vemcomo consequência. Eu amo estar aqui!
Amanda Magalhães Demartino

O GON significa para mim uma segunda família, na qual eu tenho bons amigos. Amo fazer parte desse grupo tão abençoado por Deus.
Ana Paula Mafra

Neste pouco tempo de grupo, encontrei pessoas maravilhosas que compartilham um único sentimento: o amor a Deus. Para mim o GON é a luz do Espírito Santo que espalha e semeia o amor e a paz pela sociedade. Amo este grupo!
Luiz Fernando Nardes

O GON é mais que um grupo de jovens, é a base de apoio para muitos jovens que não têm motivo para vir à Igreja e acha que Deus é uma faresa. Mais que amigos, o grupo é uma família.
Luana e Alessandro

O GON para mim significa amizade, encontro com Deus. Desde que eu entrei no GON minha vida melhorou demais; conquistei vários amigos que nunca esquecerei.
Matheus Fernando

O GON significa o início; estou há pouco tempo e me sinto em casa. Só tenho a agradecer por me acolher.
André Thiago de Souza

Um encontro com Deus e uma nova experiência a cada dia, significa encontrar pessoas que buscam a Deus e a vida eterna, como eu.
Rafael Lucas Marquetti Alves

O grupo significa uma paz interior e eu amo participar dele porque quando eu estou aqui,eu sei que estou entre amigos de verdade, com quem eu posso contar quando eu precisar, nas horas boas e felizes, ruins e tristes, que choram e riem junto comigo. "Amigos não são aqueles que enxugam suas lágrimas, mas aqueles que não a deixam cair."
Yolanda Cristina Silva


Fazer parte da família Obra Nova para mim é uma alegria imensa, agradeço a Deus todos os dias por poder servi-lo atráves do GON, de poder dividir a minha caminhada com vocês e de tudo que fazemos para levar o Amor de Deus que vivemos para outros Jovens. GON vcs são fundamentais na minha vida, os momentos que passamos juntos são maravilhosos, td o que já vivemos juntos e tudo o que ainda temos para viver me fazem ter mais forças para alcançar o meu objetivo, objetivo que é o do grupo também... GON juntos rumo ao CÉU... Deus quer jovens santos, e nós queremos ser os Santos jovens que Deus quer! Família GON amo vocês!

Rodrigo Laufer

O grupo de jovens Obra Nova é um presente de Deus para nós, o GON é muito importante na minha vida e acredito que na vida de todos que participam, lá nós temos um contato mair com Deus. Eu encontrei uma segunda familia , a familia Obra Nova. Eu agradeço a Deus todos os dias por poder servi-lo, atraves do GON. GON vocês são fundamentais na minha vida, os momentos que passamos juntos são inesqueciveis. Amo vocês GON.
Francielle Caroline de Souza

quinta-feira, 18 de março de 2010

Ecumenismo


por Valdir Reginato

Esta semana vamos falar de Ecumenismo. Temos notado uma grande preocupação do Santo Padre em reagrupar todo o rebanho de cristãos numa unidade que tem por cabeça Cristo. Notamos a perseverança e insistência do Papa em ir até os nossos irmãos que embora afastados do Vaticano, permanecem na doutrina cristã. Não só a estes, mas também a judeus e muçulmanos, dando continuidade ao trabalho de João Paulo II, Bento XVI tem se colocado de braços abertos para um diálogo que possa reunir todos os homens de boa vontade, que desejam seguir o ideal da mensagem de Cristo.

Desta maneira temos acolhido muitos anglicanos que em desacordo com algumas idéias recentes no Anglicanismo estão solicitando o seu retorno à casa do Papa, que os acolheu com alegria, clérigos e leigos. É um esforço que faz a Igreja para poder fazer de “tudo para todos a fim de salvar o maior número possível” como diz o Apóstolo. Esta mensagem é voltada para o Ecumenismo, que neste ano pela terceira vez se torna concretizada na Campanha da Fraternidade pela CONIC – Conselho Nacional de Igreja Cristãs do Brasil.

O Ecumenismo neste apelo à unidade de todos os povos contidos na mensagem do Evangelho, não pode ser confundido com o “tanto faz” ou “é tudo igual”. Cada credo tem suas peculiaridades que determinam uma doutrina a qual se estabelece uma fé na esperança de se alcançar o Reino de Deus. Contudo, algumas divergências entre estas crenças são muito significativas, particularmente no que diz respeito à presença de Cristo vivo na Eucaristia, aos dogmas da Maternidade de Nossa Senhora como mãe de Deus (e mãe nossa), sua imaculada conceição e virgindade. Da mesma maneira a aceitação da infalibilidade do papa para assuntos de fé e doutrina.

São diferenças que embora possam ser superadas para uma melhor confraternização, jamais podem ser consideradas por um católico como algo de menor importância, ou muito menos duvidoso, como se fossem temas polêmicos não esclarecidos. A convivência respeitosa com os nossos irmãos em Cristo, não pode alterar a Verdade que professamos, que está no depósito da fé, guardada pelo Papa e os Bispos em comunhão com ele. Ser ecumênico não significa “dar um jeitinho” para se chegar num denominador comum que atenda a todos, e, portanto deveremos nos “adaptar” a uma nova verdade. Todo católico deve estar convencido da sua fé, e propagá-la como determina a Santa Igreja, sem elaborar “adaptações”.

Aprendemos, contudo que por intermédio do Ecumenismo os homens poderão chegar a uma maior aproximação dos mandamentos de Deus, e a uma convivência mais harmônica e pacífica na sua fé. Em um mundo que se está crescendo no “proselitismo do ateísmo”, é necessário que deixemos de nos desentender com os demais cristãos, no intuito de poder levar a todos o Evangelho de Cristo a um mundo que necessita de recristianização.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Bingo GON

No próximo dia 10, acontecerá no Salão Paroquial o Bingo do @gobranova em prol de nossas obras de evangelização. Adquira já o seu cartão e venha ganhar muitos prêmios! Maiores informações: 47 96315632.


Ser nova criatura


Quando você aceitou Jesus como dono de sua vida, você nasceu de novo e, de volta à casa do Pai, faz parte de uma grande família. Esta foi a grande decisão de sua vida; trata-se de uma radical mudança de direção e propósito. Não é você quem vive, mas Cristo que vive em ti. O céu é o seu lugar de chegada e, por tudo isso, você é uma nova pessoa.

O encontro com Cristo desperta no coração o desejo de viver um cristianismo genuíno. E como isso acontece? Existem diversas formas de se começar. Uma delas é sanar dúvidas de fé para fortalecer as nossas bases, pois é extremamente importante que ao tomar a decisão de seguir Jesus se aprofunde o conhecimento sobre a vida cristã e sobre a Igreja; fé e razão se completam.

Com o tempo você perceberá intensamente que Jesus na sua vida é a melhor coisa que te aconteceu. O caminho a ser trilhado é cheio de alegria e superações e, com franqueza, não é fácil. Muitas são as tentações, provações e problemas, muitas são as injustiças que sofremos. Mas, você é mais que vencedor em Cristo e conta com o apoio do Espírito Santo e dos seus amigos de fé para te lembrar de que Jesus nunca te deixará, nem abandonará (Hb 13,5) e não vai te esquecer. Portanto, siga pelo caminho estreito e seguro, decida não regressar à vida antiga e, assim, caminharás ao lado do Mestre para sempre.

sábado, 13 de março de 2010

Discípulo ou Seguidor?


por Rodrigo Ferreira

Ser católico não se resume apenas em ser um seguidor de Jesus; há uma grande diferença entre seguir Jesus e ser discípulo Dele. Observa o texto a seguir, perceba a diferença e identifique-se.

O seguidor espera pães e peixe; o discípulo é um pescador.
O seguidor luta por crescer; o discípulo luta por reproduzir-se.
O seguidor se ganha; o discípulo se faz.
O seguidor gosta do afago; o discípulo gosta do serviço e do sacrifício.
O seguidor entrega parte dos seus desejos; o discípulo entrega sua vida.
O seguidor ouve a palavra e a guarda no coração, o discípulo leva esta palavra aos aflitos.
O seguidor espera que lhe apontem a tarefa; o discípulo é solicito em tomar a responsabilidade.
O seguidor quase sempre murmura e reclama; o discípulo obedece e nega a si mesmo.
O seguidor reclama que o visitem; o discípulo visita.
O seguidor conhece a Bíblia de capa a capa, o discípulo conhece e pratica o que sabe.
O seguidor pratica a caridade, o discípulo pratica o mais puro amor, o amor de Deus.
O seguidor sonha com a igreja ideal; o discípulo se entrega para fazer a igreja real.
O seguidor diz: Que bonito!; o discípulo diz: Eis-me aqui.
O seguidor aponta o dedo e mostra as pessoas para Deus, o discípulo mostra Deus às pessoas.
O seguidor espera por um avivamento na igreja; o discípulo é parte do avivamento.
O seguidor é condicionado pelas circunstâncias; o discípulo as aproveita para exercitar sua fé.
O seguidor vale porque soma; o discípulo vale porque multiplica.
O seguidor é importante; o discípulo é indispensável.

O discípulo pode até fugir da raia, pode até negar, pode até se esconder, pode até correr nú pra se safar… Mas o discípulo não tem mais para onde ir… Aí está a diferença. O admirador sempre tem para onde ir; e sempre se defende dizendo que tem muito a perder. O discípulo, todavia, quando corre, não o faz porque antes fez “contas” e concluiu pela vantagem da fuga. Não! O discípulo foge apenas porque é humano, porque se assusta, porque precisa aprender quem é o Mestre…; e, muitas vezes, isso só acontece na escuridão da noite da fuga e do medo.

O discípulo não tem mais para onde correr… Mesmo quando corre de medo… Visto que está no Caminho. Assim, o discípulo foge para dentro. O Admirador corre para fora. O discípulo se assusta. O admirador não se assusta, apenas trata de se precaver. Para o discípulo o Mestre é tudo, mesmo quando ele se vê como um Nada.

Já o admirador vê no Mestre uma oportunidade; e nada, além disso. Em podendo ser aproveitada (a oportunidade), ótimo. Mas se não for possível, na melhor das hipóteses, o admirador serve ao Mestre Morto; até carrega o seu cadáver; mas jamais corre o RISCO de morrer junto…

O sinal de perigo para o admirador acontece quando alguém importante e com poder, pergunta: “Por ventura és um deles?” Nessa hora o admirador cala-se. O discípulo pode negar, praguejar, dizer “não sou”. Mas jamais crerá em si mesmo… Daí o porquê de sair para chorar amargamente na escuridão da noite das angústias.

POIS NEGAR O MESTRE É NEGAR SUA PRÓPRIA EXISTÊNCIA E SEU SENTIDO DE VIVER.

Que o Espírito santo nos ilumine para assumirmos nosso compromisso batismal e sermos verdadeiros discípulos de Jesus.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Nova comunidade no Orkut


O Grupo Obra Nova está com uma nova comunidade no site de relacionamentos Orkut. Ela surgiu a partir da necessidade de acrescentar informações e inovar, coisas que não eram possíveis de serem feitas com a antiga.

Para acessar
clique aqui. Aproveite e participe. Assim, será possível adicionar os membros do grupo e comentar os assuntos tratados no Fórum.

Enjoy it!

Dez Conselhos de Bento XVI aos jovens

por Bento XVI

Dialogar diariamente com Deus, ler a Bíblia, ir à Missa do domingo, contar as alegrias e sofrimentos a Cristo, dar exemplo ou ser útil aos demais: são alguns dos conselhos que o Papa dá aos jovens.

1) Dialogar com Deus
“Alguns de vocês poderiam talvez se identificar com a descrição que Edith Stein fez de sua própria juventude, ela, que viveu depois no Carmelo de Colônia, ‘tinha perdido, consciente e deliberadamente, o costume de rezar’. Durante estes dias, poderão recuperar a experiência vibrante da oração como diálogo com Deus, que sabemos que nos ama e que, por sua vez, queremos amar”.

2) Contar a Deus os sofrimentos e as alegrias

“Abram seu coração a Deus. Deixem-se surpreender por Cristo. Concedam-lhe o ‘direito de falar com vocês’ durante estes dias. Abram as portas da liberdade a Seu amor misericordioso. Apresentem suas alegrias e suas penas a Cristo, deixando que Ele ilumine com Sua luz a mente de todos vocês e toque, com Sua graça, seus corações”.

3) Não desconfiar de Cristo
“Queridos jovens, a felicidade que procuram, a felicidade que têm direito de saborear, tem um nome, um rosto: o de Jesus de Nazaré, oculto na Eucaristia. Somente Ele dá plenitude de vida à humanidade. Digam, com Maria, o seu ‘sim’ ao Deus que quer se entregar a vocês. Repito hoje, o que disse no princípio de meu pontificado: Quem deixa Cristo entrar na própria vida não perde nada, nada, absolutamente nada do que faz a vida livre, bela e grande. Não! Somente com esta amizade se abrem completamente as portas da vida. Só com esta amizade se abrem realmente as grandes potencialidades da condição humana. Só com esta amizade, experimentamos o que é belo e o que nos liberta. Estejam plenamente convencidos: Cristo não elimina nada do que existe de formoso e grande em vocês, mas leva tudo à perfeição, para a glória de Deus, a felicidade dos homens e a salvação do mundo”.

4) Estar alegres: querer ser santos
“Além das vocações que implicam uma consagração especial, está também a vocação própria de todos os batizados: trata-se de uma vocação a aquele alto grau da vida cristã normal que se expressa na santidade. Quando alguém encontra Jesus e acolhe Seu Evangelho, a vida muda e a pessoa é levada a comunicar aos outros a própria experiência (...). A Igreja precisa de santos. Todos estamos chamados à santidade e somente os santos podem renovar a humanidade. Convido-os a fazer o esforço, já durante estes dias, de servir sem reservas a Cristo, custe o que custar. O encontro com Jesus Cristo lhes permitirá sentir interiormente a alegria de Sua presença viva e vivificante, para testemunhá-la depois, nos seus ambientes”.

5) Deus: tema de conversação com os amigos
“São tantos nossos companheiros que ainda não tiveram a oportunidade de conhecer o amor de Deus, ou procuram preencher o coração com substitutos insignificantes. Portanto, é urgente ser testemunhas do amor contemplado em Cristo. Queridos jovens, a Igreja precisa de autênticas testemunhas para a nova evangelização: homens e mulheres cuja vida tenha sido transformada pelo encontro com Jesus; homens e mulheres capazes de comunicar esta experiência aos demais”.

6) Aos domingos, ir à Missa
Não deixem de participar da Eucaristia dominical e ajudem também os outros a descobri-la. Certamente, para que dela emane a alegria que precisamos, devemos aprender a compreendê-la cada vez mais profundamente, devemos aprender a amá-la. Vamos nos comprometer com isso, vale a pena! Vamos descobrir a íntima riqueza da liturgia da Igreja e sua verdadeira grandeza: não somos nós que fazemos festa para nós mesmos, mas, ao contrário, é o próprio Deus vivente que nos prepara uma festa. Com o amor à Eucaristia, redescobrirão também o sacramento da Reconciliação, no qual a bondade misericordiosa de Deus permite sempre iniciar de novo a nossa vida.

7) Demonstrar que Deus não é triste
Quem descobriu Cristo, deve levar outras pessoas a Ele. Uma grande alegria não deve ser guardada só para a própria pessoa. É preciso transmiti-la. Em numerosas partes do mundo, existe hoje um estranho esquecimento de Deus. Parece que tudo continua do mesmo jeito sem Ele. Mas, ao mesmo tempo, existe também um sentimento de frustração, de insatisfação com tudo e com todos. Dá vontade de exclamar: não é possível que a vida seja assim! Verdadeiramente, não.

8) Conhecer a fé
Ajudem os homens a descobrir a verdadeira estrela que nos indica o caminho: Jesus Cristo. Tratemos, nós mesmos, de conhecê-lo cada vez mais para poder guiar também, de modo convincente, os outros até Ele. Por isso é tão importante o amor à sagrada Escritura e, de conseqüência, conhecer a fé da Igreja que nos mostra o sentido da Escritura.

9) Ajudar: ser útil
Se pensarmos e vivermos em virtude da comunicação com Cristo, então abriremos os olhos. Então, não nos adaptaremos mais a seguir vivendo preocupados somente por nós mesmos, mas veremos onde e como somos necessários. Vivendo e atuando assim, perceberemos logo que é muito mais belo ser úteis e estar à disposição dos demais do que se preocupar somente do conforto que nos oferecem. Eu sei que vocês, como jovens, aspiram a coisas grandes, que querem se comprometer por um mundo melhor. Demonstrem isso aos homens, demonstrem ao mundo, que esperam exatamente este testemunho dos discípulos de Jesus Cristo e que, sobretudo mediante o amor de vocês, poderá descobrir a estrela que, como pessoas de fé, seguimos.

10) Ler a Bíblia
O segredo para ter um “coração que entenda” é formar um coração capaz de escutar. Isto se consegue meditando sem cessar a palavra de Deus e permanecendo enraizados nela, através do esforço em conhecê-la sempre mais. Queridos jovens, exorto a todos a adquirir intimidade com a Bíblia, a tê-la sempre ao alcance da mão, para que ela seja para vocês como uma bússola que indica o caminho a seguir. Lendo-a, aprenderão a conhecer Cristo. São Jerônimo, ao respeito, nos diz: “O desconhecimento das Escrituras é desconhecimento de Cristo”.

Em resumo...
Construir a vida sobre Cristo, acolhendo com alegria a palavra e colocando em prática a doutrina: eis aqui, jovens do terceiro milênio, aquele que deve ser seu programa! É urgente que surja uma nova geração de apóstolos enraizados na palavra de Cristo, capazes de responder aos desafios de nosso tempo e dispostos a difundir o Evangelho por todo lado. Isto é o que o Senhor lhes pede, a isto os convida a Igreja, isto é o que o mundo – mesmo sem sabê-lo – espera de vocês! E se Jesus os ama, não tenham medo de responder-lhe com generosidade, especialmente quando lhes propõe de segui-lo na vida consagrada ou na vida sacerdotal. Não tenham medo, confiem Nele e não ficarão decepcionados.

terça-feira, 9 de março de 2010

Tive um encontro maravilhoso com Jesus; e agora??

por Alael Cristina Siqueira

Muitos de nós jovens temos nossas primeiras experiências com Jesus, sejam em retiros, grupos de oração, missas... O fato é que de alguma forma, para muitos de nós elas já aconteceram, ou fique tranqüilo irão acontecer, isso só depende da sua abertura de coração.

Mas e depois dessa experiência o que fazer?

Essa é uma questão que aflige muitas pessoas, porque depois desse ardor com Jesus, fica difícil viver da mesma forma, depois que Jesus entra em nossa vida, Ele meio que nos desestabiliza, ficamos confusos e com muito, mas muito MEDO mesmo!

Você pode estar pensando... Medo?! Por que medo?

Mas é sim amigos, medo... Pois a vida com Jesus, e em Jesus, é um desafio, sobretudo para os mais jovens, pois Ele nos chama a renunciar a muitas coisas, somos chamados e viver de forma diferente, a deixar de lado certas atitudes que fazem com que nós não nos sintamos mais parte do nosso grupo de amigos.

Jesus nos convida a viver uma vida nova, a viver uma alegria verdadeira que só podemos encontrar nEle. Mas como é difícil renunciar... tem coisas que as vezes até achamos que não fazem mal, mas no fim, fazem sim.

Me lembro do meu primeiro encontro com Jesus, nossa senti uma paz, uma alegria que parecia não ter fim, é e não teve mesmo, mas depois disso muita coisa da minha vida velha não me servia mais: sair, baladas, bebidas, ficar, beijar, tudo isso ficou sem sentido não me faziam mais feliz, meu coração parece que estava sempre dizendo quero mais, quero melhor, quero tudo... e eu pensava tudo! Tudo o que? Não conseguia saber o que fazer, me sentia inquieta, foi então que percebi que precisava ter uma mudança radical em minha vida, precisava decidir por Jesus, mudei muitas coisas em minha vida, e ainda tenho muito a mudar, mas percebo que cada renúncia tem valido muito a pena, tem me feito cada vez mais feliz e livre.

Sei que a partir desse encontro, passamos a nos sentir incomodados com algumas atitudes das pessoas e sobretudo ficamos incomodados com as nossas próprias atitudes. Mas ao mesmo tempo, sabemos que mudar será difícil, nos fará perder ao longo deste caminho muitas coisas, nos fará perder “amigos”, pois esses “amigos” estão ali naquela vida velha, eles não conhecem Jesus e para eles esta tudo bem da forma que esta, acredito que muitos de vocês sejam como eu, que tenham dificuldades em partilhar suas experiências com Jesus. Mas saiba que será uma experiência maravilhosa quando você conseguir faze-lo, pois através do seu testemunho Jesus pode mudar a vida de muitas pessoas.

Pense nas pessoas que você gostaria que estivessem com você neste seu encontro com Jesus, pense em todas elas, e saiba que mesmo que elas não tenham estado com você naquele momento elas podem sentir Jesus através de você, então seja um evangelizador como Jesus nos pede para ser... "Ide pelo mundo e pregai o evangelho!" (Mc 16, 15), anuncie, a seus amigos, a seus familiares as maravilhas que Jesus quer fazer na vida deles, seja testemunha do amor de Deus.

E não tenha medo, acredite essa nova vida é a vida mais feliz que você pode ter. Viver o sonho de Deus é o que irá te fazer feliz de verdade.

segunda-feira, 8 de março de 2010

Anônimas ou não, as mulheres são forte presença na Igreja


(via C'est la vie?)
por
Maria de Fátima da Costa Magalhães Demartino

O dia 08 de março é a data fixada pela Organização das Nações Unidas como O Dia Internacional da Mulher. Este dia foi escolhido para lembrar as conquistas obtidas e os direitos que precisam ser conquistados pelas mulheres de todo o mundo.

Que a mulher ainda sofre discriminação no mundo atual todos sabemos. Porém, é preciso refletir também sobre as relações que as mulheres estabelecem em nossa sociedade, nos diversos papéis que elas exercem como mães de família, como trabalhadoras do lar, como educadoras, como profissionais, como políticas, como protagonistas da história, como formadoras de opinião.

Além desses papéis, merece destaque a presença da mulher na Igreja. Nas Sagradas Escrituras encontramos diversas mulheres que foram protagonistas de grandes mudanças, dentre elas ressaltamos: Judith, Ester, Ruth, Ana e a mais especial de todas, Maria, sobre a qual o Capítulo VIII, artigo 56 do Compêndio do Vaticano II afirma:
Quis, porém, o Pai das Misericórdias que a encarnação fosse precedida pela aceitação daquela que era predestinada a ser Mãe de seu Filho, para que assim como a mulher contribuiu para a morte, a mulher também contribuísse para a vida.

Essas mulheres são exemplos de fé, coragem e determinação que todos nós devemos ter para superarmos os desafios do mundo atual. Mas, a história da Igreja continua a ser escrita por tantas outras mulheres, como Santa Clara, Madre Tereza de Calcutá, Madre Paulina, etc. A lista das que ficaram conhecidas é grande, entretanto a lista das mulheres anônimas que ainda hoje buscam a santidade, lutam pela paz e sustentam a Igreja é ainda maior. Elas permanecem firmes nas situações mais adversas, como no caso da última enchente que ocorreu em nossa cidade. São mulheres de fé e mulheres guerreiras num mundo de contradições.

A todas essas mulheres queremos homenagear, agradecendo por tudo que representam para a sociedade e de um modo especial para a Igreja.

Mais sobre o assunto
Feminilidade em:

A corrente da feminilidade
A beleza real
○ Inspire-se nas grandes mulheres da Bíblia
I e II
Utopic?! Um jovem custa muito pouco

domingo, 7 de março de 2010

Carta de Dom Bosco aos jovens


O demônio tem normalmente duas artimanhas principais para afastar da virtude os jovens.

A primeira consiste em persuadi-los de que o serviço de Deus exige uma vida triste sem nenhum divertimento nem prazer. Mas isto não é verdade, meus caros jovens. Eu vou lhes indicar um plano de vida cristã que poderá mantê-los alegres e contentes, fazendo-os conhecer ao mesmo tempo quais são os verdadeiros divertimentos e os verdadeiros prazeres, para que vocês possam exclamar com o santo profeta Davi: “Sirvamos ao Senhor na santa alegria”.

A segunda artimanha do demônio consiste em fazê-los conceber uma falsa esperança duma longa vida que permite converter-se na velhice ou na hora da morte. Prestem atenção, meus caros jovens, muitos se deixaram prender por esta mentira. Quem nos garante chegaremos à velhice? Se se tratasse de fazer um pacto com a morte e de esperar até então… Mas a vida e a morte estão entre as mãos de Deus que dispõe de tudo a seu bel-prazer. E mesmo se Deus lhes concedesse uma longa vida, escutai, entretanto, sua advertência: “o caminho do homem começa na juventude, ele o segue na velhice até a morte”. Ou seja, se, jovens, começamos uma vida exemplar, seremos exemplares na idade adulta, nossa morte será santa e nos fará entrar na felicidade eterna. Se, pelo contrário, os vícios começam a nos dominar desde a juventude, é muito provável que eles nos manterão em escravidão toda a nossa vida até a morte, triste prelúdio a uma eternidade terrível.

Para que esta infelicidade não lhes aconteça, eu lhes apresento um método vida alegre e fácil, mas que lhes bastará para se tornarem a consolação de seus pais, a honra de pátria de vocês, bom cidadãos da terra, em seguida felizes habitantes do céu…

Meus caros jovens, eu os amo de todo o meu coração e basta-me que vocês sejam para que eu os ame extraordinariamente. Eu lhes garanto que vocês encontrarão livros que lhes foram dirigidos por pessoas mais virtuosas e mais sábias que em muitos pontos, mas dificilmente vocês poderão encontrar algum que o ame mais que eu em Jesus Cristo e deseja mais a felicidade de vocês.

Conservem no coração o tesouro da virtude, porque possuindo-o vocês têm tudo, mas se o perderem, vocês se tornarão os homens mais infelizes do mundo.

Que o Senhor esteja sempre com vocês e que Ele lhes conceda seguir os simples conselhos presentes, para que vocês possam aumentar a glória de Deus e obter a salvação da alma, fim supremo para o qual fomos criados. Que o Céu lhes dê longos anos de vida feliz e que o santo temor de Deus seja sempre a grande riqueza que os cumule de bens celestes aqui e por toda a eternidade. Vivam contentes e que o Senhor esteja com vocês.

Seu muito afeiçoado em Jesus Cristo,
João Bosco, Sacerdote.

“Que os jovens não sejam amados, mas que eles próprios saibam que são amados… Que, sendo amados nas coisas que lhe agradam, aprendam a ver o amor nas coisas que naturalmente pouco lhe agradam…”

sábado, 6 de março de 2010

Encontro Pós Eucaristia 2010


Nossa balada é Jesus e servir a Ele de todo o coração é nossa alegria. Recebemos o convite de ajudar nesse encontro maravilhoso e o resultado foi incrível: pulamos, dançamos, cantamos e gritamos muito durante toda a tarde!

Parabéns aos organizadores e às crianças que aceitaram o convite de participar conosco de um evento que trouxe tanto crescimento para nossas vidas.

Confira o encontro do ano passado no blog da comunidade Nossa Senhora Aparecida e parte das fotos do encontro de 2010 no Flickr e no Orkut do @gobranova.

sexta-feira, 5 de março de 2010

Você não é uma ilha isolada


por Evaldo Costa

A única barreira entre você e o que você deseja é o apoio dos outros.

Use a empatia e será capaz de prever as ações e reações dos que lhe cercam. Agindo assim, você poderá descobrir os seus desejos e ajudá-las a obter exito.

Você não poderá conquistar tudo que mais deseja na vida, se não for capaz de ajudar as outras pessoas a obterem o que querem. Ajudar aos outros sempre pagam bons dividendos.

Você não é uma ilha isolada. Você é um pedaço do planeta. As relações interpessoais são solos férteis a partir do qual todos os avanços, sucesso, realização na vida real prosperarão.

Ajude ao naúfrago a salvar-se com a sua embarcação e encontrará o seu porto seguro quando estiver em terra.

Pense nisso e ótimo dia.